@ tainah negreiros

sábado, 9 de junho de 2007

Felicidade Clandestina

Quem sabe eu aprenda. Quem sabe um meteoro caia sobre a minha cabeça nos próximos dias. Quem sabe os dias passem mais rápido do que eu imaginaria.

Quem sabe.

Agora eu tenho tudo isso no colo, nas mãos, no peito e eu seguro tão forte, tão forte, e ando por aí com todo peso que alguém apaixonado tem, eu ando por aí com o peso da distância, com o peso do tempo, do tempo que eu me alimento, do tempo que traz e leva as pessoas. Algumas eu sei que ele nao vai levar, e como é bom dizer isso nesse instante, às vezes eu dou pra ter fé, sabe, às vezes o mundo me traz isso e é bom, eu gosto de mim assim. Deito, perco o sono, sonho, choro, rio, celebro e amo, amo como nunca. A verdade é que eu acredito em milagres, daqueles que não vem de santos, mas vem de preces e de uma crença tão íntima que dói, num acreditar tão verdadeiro que não há escolha. Não, não há.
Não, eu nem quero tanta coisa, a resposta pro meu querer é bastante simples, simples demais. Quero dizer sim com um aceno, com um beijo e com um não querer largar maior do mundo.


"Que coisa grande essa! " - É meu peito que diz.

5 comentários:

Luciana disse...

"Não conseguimos acertar o peso de nada.Temos que adivinhar o tempo todo se as coisas são pesadas ou leves,sobretudo as coisas dentro de nós,e não acertamos,e isso afasta as pessoas.Eu estou cansada disso.”

O Horny de novo!Ai querida,eu também ando desse jeito,por isso eu me conveço com um sorriso mais bobo nos lábios...

:**

Arthur Tuoto disse...

"para onde estamos indo? estamos indo sempre para casa."

Thamires disse...

Que bom te ver assim. Essa eh a Tainah que eu sempre conheci.

Amo. :*

thiago_carrilho disse...

eu só quero ser amado, eu só quero ser único pra alguem. e você? creio que todo mundo também...

Daniel disse...

ei, Tainah, tu conhece o www.literar.org? posta lá tuas crônicas e contos. é bastante interessante.

a propósito, minha página lá é http://www.literar.org/user/danielsl/text ;-)

abraço.