@ tainah negreiros

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

a outra banda da terra


Tenho uma amiga do outro lado do Atlântico que me escreveu falando do azul, do azul que ela vê, e do meu azul que ela imagina.
Esse é o meu, lá onde eu cresci e gastei a minha história.

9 comentários:

nadasou disse...

Lindo isso. Achei realmente maravilhoso.

Anônimo disse...

Os olhos levantam-se juntos, ao mesmo tempo que os há-braços, mãos e pensamentos. Temos a capacidade de pintar de azul, cobalto que se diga, mesmo as pedras mais pesadas que insistem em ficar no chão.
To falei que escreves lindamente?
adouro-te e obrigada, amiga!

besos.

Liah.

Analuka disse...

Um beijo alado azul.

Luciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana Marinho disse...

... e o céu de um azul celeste celestial ♪


bem aqui.

Tainah Negreiros disse...

é desse trem das cores que quero falar, Lu!

hildinha disse...

TAINAH,QUERIA TANTO TE VER MAIS VEZES, MORAR MAIS PERTO... E ASSIM USUFRUIR MAIS DE SUA SABEDORIA E SENSIBILIDADE.- VIAJO LENDO SEU SEU BLOG.- "ESSE AZUL QUE ELA VÊ, E DO MEU AZUL QUE ELA IMAGINA." É DE UMA PROFUNDIDADE TÃO GRANDE!
PARABÉNS.
BEIJOS PARA VOCES TODOS.

hildinha disse...

TAINAH VOU MANDAR ESSE VERSO GOSTO MUITO, DE MEU TIO UMBERTO PAIXÃO, IRMÃO DE PAPAI.
"FIZ TUDO PARA SER UM HOMEM SIMPLES,OBJETIVO,PRAGMÁTICO.
O DIABO FOI QUE PLANTEI MILHO E NASCERAM BORBOLETAS."

paliativo disse...

belo azul