@ tainah negreiros

terça-feira, 30 de dezembro de 2008


Ainda a caminho minha prima disse que a serra é sua mãe.
Achei bonita a metáfora. Enquanto ela dizia do carinho, logo a frente já haviam alguns dos paredões que abrigavam como braços bichos, gente e plantas há milhões de anos.
Além do que carro e pegada deixa, passarinhos, caititus, borboletas amarelas e um veadinho apressado guiaram a caminhada. E tantos mais que só vimos o rastro ou ouvimos o som.
A dança, o beijo, e o parto de que as pinturam disseram são de fazer chorar tamanha fragilidade que consegue ser eterna.
As pegadas dos pequenos também.





E sei que a mãe que pariu é tão linda quanto.

4 comentários:

san disse...

precisa me levar lá =]

lumena disse...

ainh....
agora que vi.
que lindo taih.
lindo lindo.

Anônimo disse...

Veja no meu blog, um paredão da Serra das Confusões. Esse lugar é muito lindo e mágico.

Mudando de asssunto:

Eu amo eu silêncio. Só sei que amo. Bem que eu gostaria de ser efusivo,mas esse é o meu jeito de ser. O fato de eu ser zeloso, a minha maneira, porventura explique o meu amor, mesmo dem demonstrá-lo claramente.

Anônimo disse...

O anônimo sou eu: Dom Severino